13 março 2015

Texto | Um anjo na multidão



"Por um instante imaginei que minha alma havia deixado de habitar meu ser quando, diante dos meus olhos, contemplei um anjo sem asas, mas de mesmo esplendor.

Admirei-o por tempo suficiente para notar que eu ainda respirava e que minha face ardia com um rubor repentino. Estaria eu, perdendo a pouca sanidade  que me restara diante daquela visão?

A multidão, que antes desaparecera, agora ressurgia ao meu redor e aos poucos vi meu anjo se perder entre rostos desconhecidos e desaparecer tão sublime como se mostrara.

Ali, permaneci a fitar o vazio que sua ausência deixara, rezando para vê-la mais uma vez. Estaria eu, louco por imaginar-la em meus braços? De certo devo estar, mas por ela eu seria um eterno alucinado e lutar por seu amor. 

Ai de mim! Ai de mim se os deuses do destino me permitissem tal honra. 

Sozinho, recuperei meu rumo na multidão e retirei-me sem nada dizer, convencido de que não a veria tão breve nessa vida."



03 março 2015

Resenha | Enquanto eu te esquecia - Jennie Shortridge

Olá amores, como estão?

Hoje trago a resenha de um livro que descobri por um acaso na minha busca interminável por marcadores de livro e esse, em especial, me chamou muito a atenção e fui procurar saber mais da história. 

Aos que acreditam que o amor rompe barreiras do tempo e do espaço.

      

× Ficha Técnica
× Título: Enquanto eu te esquecia
× Título original: Love Water Memory
× Editora: Única
× Páginas: 384
× Edição: 2014
× Autor: Jennie Shortridge

Sinopse
Lucie Walker não se lembra de quem é ou como foi parar nas águas geladas da Baía de São Francisco. Encaminhada para uma clínica psiquiátrica, ela aguarda até que um homem chega afirmando ser seu noivo. Entretanto, com seu retorno para casa, essa mulher sem memória vai tomando conhecimento de sua personalidade antes do acidente, da pessoa controladora, fria e sem vida que era, e dos segredos da infância e da família, assim como da situação do noivado e dos mistérios que podem ter provocado o acidente
Intenso, franco e incrivelmente emocionante, Enquanto Eu Te Esquecia é um livro delicado, que nos questiona sobre a maneira que vivemos e nos lembra que sempre temos uma nova chance de ser feliz.
Será que ela quer isso de volta? Será que essa nova Lucie conseguirá manter o amor por Grady, ou a oportunidade de recomeçar será sua salvação?

• Resenha

O livro é contado através da narração de Lucie, Grady e Helen - tia de Lucie -, onde se alternam em capítulos. Como li o ebook, não posso dizer muito sobre a diagramação, mas a arte da capa é simplesmente linda, totalmente coerente com a história. 

A leitura foi muito suave e rápida, com uma escrita envolvente e cativante. Me senti muito ligada a história e principalmente a Lucie, essa é o tipo de história que faz com que o leitor pense "poderia ser comigo" e posso dizer que pensei isso incontáveis vezes enquanto seguia com a leitura. Achei os fatos muito emocionantes e meus olhos marejaram de lágrimas na maior parte do tempo, algo que considero ótimo, pois significa que as palavras escritas, realmente, alcançaram o coração.

O caso da amnésia de Lucie é algo que nos faz refletir sobre muitas coisas, sobre como somos e como gostaríamos de sermos lembrados ou até mesmo por quem gostaríamos de sermos lembrados. A história toda nos mostra, também, como o amor consegue e pode superar tudo com paciência e compreensão mesmo que seja difícil, por isso super recomendo a leitura para os leitores sensíveis e românticos, pois irão se simpatizar muito com nossa protagonista.

Gostei tanto do livro que não deixarei nenhum spoiler nessa resenha, pois quero muito que vocês leiam e descubram o final de Lucie e Grady.

NOTA
     




20 fevereiro 2015

Marcas Literárias | Li e não esqueci!

Oi amores! Como estão?
 
 
  Todo bom leitor tem algum título que marcou época em sua vida, correto? Foi pensando nesses livros que li a tanto tempo e que ainda lembro como se fosse ontem que resolvi fazer esse post para compartilhar minhas memórias com vocês.

O primeiro livro, o primeiro romance, a primeira saga... Sabemos que quando um livro é bom ele permanece em nossa memória para sempre, seja por seus mundos incríveis ou por sua mensagem final. O hábito da leitura nasceu espontaneamente em mim, visto que não tive influência em ambiente familiar e graças a biblioteca da minha antiga escola pude ter meu primeiro contato com títulos desconhecidos. Hoje quero apresentar alguns livros que se tornaram inesquecíveis para mim e que, vez ou outra, me pego relembrando a história mentalmente. Todos os títulos são juvenis, então se você costuma gostar de histórias mais elaboradas vale para uma leitura casual.


#1 - A mulher do meu Pai - Regina Drummond

Um dos primeiros livros que me fez desintegrar em lágrimas! Uma narração simples e gostosa de ler. Achei o final maravilhoso e me fez refletir muito sobre a situação vivida pela Isa.

O livro é narrado do ponto de vista da protagonista, Isabela, sendo seu fiel diário. Além das diversas dúvidas da adolecencia, Isabela se vê no meio da complicada separação dos pais e encontra no diário uma forma de desabafar suas frustrações, principalmente em relação a nova namorada do pai.


#2 - A pior das Bruxas - Jill Murphy

Esse livro é, simplesmente, uma comédia! Uma das melhores leituras da época, sem dúvida.
Mirtes Mistério é uma aprendiz de bruxa na academia da Dona Hilária, porém, ao contrário de seus colegas de turma é o desastre em pessoa, ou melhor, em bruxa. Desde não conseguir pilotar sua vassoura corretamente até trocar as palavras mágicas, Mirtes acaba arrumando muita confusão durante a história, mas sem desistir de se tornar uma excelente bruxa! 



#3 - Agora estou sozinha - Pedro Bandeira

Essa é uma das minhas obras favoritas do autor que é um mestre na arte de escrever para os jovens! Vibrei muito com a trama e suas reviravoltas.
Inspirado em Hamlet, o livro conta a história de Telmah, uma jovem que vive um amor proibido e que descobre o segredo de um assassinato que pode mudar sua vida para sempre. Determinada a salvar aqueles que ama, Telmah se vê sozinha quando ninguém parece acreditar em suas palavras. Dividida entre paixão e vingança ela enfrenta a todos para provar sua sanidade.



#4 - O pequeno Vampiro no Vale das LamentaçõesANGELA SOMMER-BODENBURG


Acho que como a maioria, eu sempre gostei de histórias sobrenaturais com vampiros e lobos e foi por isso que quis muito ler esse livro quando o encontrei na biblioteca. Eu gostei tanto dessa história que já devo ter lido umas sete vezes. Infelizmente foi o único da coleção que consegui ler (era o único que tinha na escola), mas ainda lerei as demais histórias. Nesse livro o pequeno vampiro conta suas aventuras com seu amigo humano, Anton, quando ele e seu pai resolvem acampar no Vale das Lamentações. 



Espero que tenham gostado do post e dos livros que deixei de dica!
Deixem nos comentários os livros que marcaram vocês também, em breve comento de mais alguns!


02 fevereiro 2015

Resenha | Reconstruindo Amélia - Kimberly McCreight

Olá amores! Como estão?

A resenha de hoje é sobre um livro que me surpreendeu do começo ao fim por sua originalidade.

Reconstruindo Amélia foi escrito pela advogada Kimberly McCreight que deixou sua profissão de lado para se dedicar a escrita. Também é autora do livro "Where They Found Her", lançado esse ano e que conta a história de Molly Anderson, uma jornalista freelancer que é chamada para cobrir o caso de um bebê encontrado morto em uma floresta de New Jersey, uma tarefa difícil para ela visto que acabara de sair de uma depressão após a perda de seu próprio bebe. Não sei se há previsão para a tradução desse título para o Brasil, mas espero que chegue logo, pois já sou fã da Kim. Mas vamos a resenha!


       

× Ficha Técnica
× Título: Reconstruindo Amélia
× Título original: Reconstructing Amelia
× Editora: Arqueiro
× Páginas: 352
× Edição: 2014
× Autor: Kimberly McCreight


 Sinopse 

Kate Baron, uma bem-sucedida advo­gada, está no meio de uma das reuniões mais importantes de sua carreira quando recebe um telefonema. Sua filha, Amelia, foi suspensa por três dias do Grace Hall, o exclusivo colégio particular onde estuda. Como isso foi acontecer? O que sua sensata e inteligente filha de 15 anos poderia ter feito de errado para merecer a punição?
Sua incredulidade, no entanto, vai aos poucos se transformando em pavor ao deparar, no caminho para o colégio, com um carro de bombeiros, uma dúzia de policiais e uma ambulância com as luzes desligadas e portas fechadas.
Amelia está morta.
Aparentemente incapaz de lidar com a suspensão, a garota subiu no telhado e se jogou. O atraso de Kate para chegar a Grace Hall foi tempo suficiente para o suicídio. Pelo menos essa é a versão do colégio e da polícia.
Em choque, Kate tenta compreender por que Amelia decidiu pôr fim à própria vida. Por tantos anos, as duas sempre estiveram unidas para enfrentar qualquer problema. Por que aquele ato impulsivo agora?
Suas convicções sobre a tragédia e a pró­pria filha estão prestes a mudar quan­do, pouco tempo depois do funeral, ela recebe uma mensagem de texto no celular:
Amelia não pulou.
Alternando a história de Kate com registros do blog, e-mails e posts no Fa­cebook da filha, Reconstruindo Amelia é um thriller empolgante que vai surpreender o leitor até a última página.

Resenha

O livro é dividido em capítulos alternados que são narrados tanto por Kate quanto pela filha e alguns que são sobre os arquivos das redes sociais de Amélia e conversas por sms. Embora o enredo seja um tanto pesado - onde aborda temas como suicídio, homicídio, situação familiar mal resolvida e bullyng - o livro definitivamente subiu na minha lista de favoritos.

O livro conta com personagens marcantes e bem construídos envoltos em uma situação extremamente delicada e cheia de mistérios por detrás da morte de nossa póstuma protagonista. Eu me emocionei muito com o livro e não consegui parar de ler até que terminasse, o que me levou a ficar acordada até as 4h da manhã para terminá-lo, pois a cada capitulo queria saber mais e mais sobre o que realmente aconteceu a Amélia e quando descobri fiquei aliviada, embora triste pela fatalidade.

Conheci o título através de um marcador do mesmo que peguei numa livraria e o comprei na primeira oportunidade. A história é simplesmente original, eu nunca tinha lido nada parecido e a escrita de Kimberly é fantasticamente envolvente. Não vou deixar nenhum spoiler nessa resenha, pois não tenho o que acrescentar a essa obra incrível e também porque gostaria muito que vocês lessem para descobrir o que realmente houve.

Recomendo a todos este livro, com carinho.


NOTA
        




30 janeiro 2015

Resenha | O Mistério do Círculo - Leandro Luzone

Olá amores, como estão?
Hoje trouxe mais uma resenha nacional pra vocês.

Aos amantes do suspense e do mistério com uma pitada de romance.


O Mistério do Círculo foi lançando em 2010 pelo advogado e escritor Leandro Luzone através da editora Novo Século. Antes de escrever a obra, o autor esteve presente em cada cenário descrito na trama que se segue, algo que é muito bacana para se falar com propriedade de certos lugares, principalmente quando este abrange localidades em outros países. Vamos lá? 

         

× Ficha Técnica

× Título: O Mistério do Círculo
× Editora: Novo Século
× Páginas: 432
× Edição: 2010
× Autor: Leandro Luzone


Sinopse

Em Londres, no século XXI, um padre e uma sacerdotisa de uma antiga ordem mística, conhecida como Círculo, envolvem-se em um inusitado caso de amor e tentam ajudar a Scotland Yard a descobrir a identidade do assassino, chamado pela imprensa britânica de O Inquisidor de Londres. Todas as suspeitas apontam a participação da Congregação para a Doutrina da Fé – um órgão da Igreja que substituiu a Inquisição – nos assassinatos das sacerdotisas com instrumentos de tortura e execução.

Resenha

Ayna Fulke é uma talentosa cientista do laboratório Life, responsável pela pesquisa da cura do alzheimer e sacerdotisa de uma Ordem mística denominada O Círculo. Ela e Bonera se conheceram após o padre marcar uma reunião na esperança de conseguir ajuda para a doença de sua mãe, mas, infelizmente, Ayna se vê numa posição delicada sabendo que não poderá ajudar Bonera como ele espera. Consternada pela fase dificil que o padre esta enfrentando sozinho, Ayna marca um encontro para conversarem e assim, aliviar um pouco da angustia que Bonera carrega pela saúde da mãe, mas durante um simples café da tarde ela recebe uma terrível notícia: Uma das sacerdotisas do Círculo foi brutalmente assassinada na noite anterior e a policia da Scotland Yard não faz ideia de quem seja o assassino.


Achando que era apenas uma tragédia isolada, Ayna não dá detalhes para a polícia sobre sua relação com vítima até que outras sacerdotisas começam a desaparecer subitamente. Confirmada a perseguição pelo Círculo, Ayna passa a cooperar inteiramente para que prendam o assassino o mais rápido possível. Bonera, que agora se tornara mais próximo da cientista, se vê incapaz de abandoná-la nesse momento difícil, assim como ela não o abandonara em sua aflição e permanece fielmente ao lado dela na tentativa de ajudar as investigações e impedir que Ayna seja assassinada.


A trama é cheia de assassinatos brutais - e até nauseantes de se ler - executados friamente pelo Inquisidor de Londres, onde usa instrumentos medievais da época da Inquisição ou Caça as Bruxas. Apesar das cenas pesadas de violência, elas não duram mais que um capítulo e todo o contexto foi muito bem escrito e descrito pelo autor com um ritmo marcante.

O livro é dividido em pequenos capítulos datados de acordo com os acontecimento, que facilita a leitura. Mas, apesar de achar muito boa a desenvoltura da história achei que alguns pontos poderiam ter sido trabalhados de um modo melhor.

SPOILER

A evolução do relacionamento de Ayna e Bonera é algo muito legal de se acompanhar também, pois são dois personagens pelos quais você consegue se apegar e torcer para que tudo acabe bem para eles. Gostei muito da forma como o autor abordou o tema da religião em si e não apenas a fé católica, pois a conclusão de tudo é que os homens se perderam em meio a religião e esqueceram do verdadeiro Deus e que passaram a pregar um falso evangelho cheio de regras e esqueceram-se que Deus está em todas as coisas. 

O estilo do livro me lembrou muito as tramas do escritor Dan Brown, naquele clima de suspense policial envolto em um romance inesperado, entretanto achei pouco criativo a forma como cada uma das sacerdotisas foi capturada antes da execução, pois o "vilão" sempre as pegava fácil demais, seja na rua ou em casa, ele simplesmente entrava e as pegava. Achei muito igual o fato de todas sempre morarem sozinhas em casa também.

Fora esse detalhes que me incomodou um pouco na leitura, eu gostei bastante do livro e indico para quem gosta desse gênero e para quem gosta da cultura celta, pois o livro aborda bastante esse tema. 

Apesar dos capítulos curtos eu demorei mais do que o esperado para terminar o livro, não pela diagramação, pois estava ótima, mas as folhas brancas tendem a cansar um pouco minha vista, então não consegui ler tão rápido.

O final me surpreendeu bastante, pois creio que para quem não ler atentamente pode deixar passar alguns detalhes fundamentais para descobrir quem é realmente o vilão da história. No começo tive minhas suspeitas, mas acabei achando que não deveria ser. O autor quase me enganou nessa hahaha, mas no final tive a certeza de que meu nariz não apitou atoa.

Como sou uma romântica incurável, é claro que o que mais amei em toda a história foi o fato de Ayna e Bonera ficarem juntos e formarem uma família! 



NOTA